"A literatura tem essa magia de nos tornar contemporâneos de quem quisermos." (Inês Pedrosa)

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Das desilusões

"Nos anos da juventude venera-se ou despreza-se e paga-se, com justiça, muito caro o ter assaltado deste modo as coisas e as pessoas com sim e não... até que o homem aprenda a pôr um pouco de arte nos seus sentimentos e prefira ousar fazer uma tentativa com o artificial: tal como o fazem os verdadeiros artistas da vida: a juventude, já de si, é algo que engana e falseia. Mais tarde, quando a alma jovem, martirizada por mil desilusões, se volta por fim, desconfiada, contra si mesma, ardente e selvagem ainda, mesmo nas suas suspeitas e remorsos: como se encoleriza consigo mesmo, como se dilacera com impaciência, como se vinga da sua longa cegueira, como se ela tivesse sido voluntária!"

(Friedrich Nietzsche)

[Imagem: Van Gogh]

3 comentários:

Richard Mathenhauer disse...

Como passar pela vida e escapar das desilusões, querendo, ainda assim, voltar à mesma vida, com o seu bom e o seu ruim?

Abraços,

Alan Silva disse...

As ilusões e desilusões são necessárias, diria o próprio bigodudo, abrir mão delas seria a maior das ilusões... somente elas mantem-nos nos trilhos e após cada ilusão perdida, uma extraordinária sensação de alívio e depois outra ilusão... e a vida é vida outra vez...

Abraço!

Eclipse Mental disse...

bigodudo é?... olha o respeito...rss

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...