"A literatura tem essa magia de nos tornar contemporâneos de quem quisermos." (Inês Pedrosa)

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

A lenta flecha da beleza

Leonid Afremov
O tipo de beleza mais nobre é aquele que não arrebata de repente, que não faz ataques impetuosos e inebriantes (esse provoca com facilidade o tédio), mas que se insinua lentamente, que se carrega consigo quase sem saber e que um dia, em sonho, se redescobre, mas que, por fim, apos ter ficado modestamente em nosso coração, toma posse completa de nós, enche nossos olhos de lágrimas e nosso coração de desejo. 

(Friedrich Nietzsche in 'Humano, demasiado humano)

2 comentários:

Reflexo do nada. disse...

Que lindo.
Parabéns pelo blog.
Tem conteúdo.

Bento Sales disse...

Alan, a beleza exterior é efêmera, mas a interior é eterna.

Ótimo texto!

Parabéns pela escolha!

Abraços!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...