"A literatura tem essa magia de nos tornar contemporâneos de quem quisermos." (Inês Pedrosa)

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Passividade
















"... Na primeira noite eles se aproximam
e roubam uma flor de nosso jardim.
E não dizemos nada.


Na segunda noite, já não se escondem:
pisam as flores, matam nosso cão,
e não dizemos nada.


Até que um dia, o mais frágil deles
entra sozinho em nossa casa,
rouba-nos a luz e, conhecendo nosso medo,
arranca-nos a voz da garganta.
E já não podemos dizer nada." 

(Eduardo Alvez da Costa)


[Imagem: Willian Ferreira]

2 comentários:

Richard Mathenhauer disse...

Ajude a um lesado leitor sob efeitos ansiolíticos: isso não é de Bertold Brecht ou é uma inspiração no alemão?

Abraços, caro.

Alan Silva disse...

Bertold Brecht? Não conheço, pensei que fosse inspiração em Martin Niemöller, também alemão. Mas não sei, tudo é possível, mas talvez seja apenas coincidência, ou não. rs

Abraço

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...