"A literatura tem essa magia de nos tornar contemporâneos de quem quisermos." (Inês Pedrosa)

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

O Sensível

Leonid Afremov
Quem parte, de manhã bem cedo, para a caça, de barriga vazia e as narinas frementes à menor mudança do vento, quem escuta, inquieto, a ressaca bater na popa do barco, alertando os primeiros odores das folhas por entre o muro espesso dos perfumes das algas e do sal, quem aguça sua vida e seus ouvidos a distância? Quem hoje, não tem necessidade de cartaz ou de mensagem para se permitir ouvir, olhar, sentir, saborear? Órgãos arruinados, empirismo em ruína; impressões perdidas, fantasmas. Desde que falamos, perdemos os sentidos. O que não desperta os sentidos, droga-os. Toma cuidado com o torpor da língua e de filosofia; foge das culturas de proibição. A sabedoria emana do corpo: o mundo dá a sapiência, e os sentidos a recebem, respeita o dado gratuito, acolhe o dom. O mundo belo, oferece gratuitamente o sensível.

(Michel Serres)

4 comentários:

Richard Mathenhauer disse...

Você já viu "Na Natureza Selvagem"?

Abraços,

Alan Tykhé disse...

Não, não vi... acabo de pesquisar sobre ele e parece ser bom, vai pro topo da lista.

Abraços

palavrasdeumnovomundo disse...

Olá, descobri seu blog e gostei muito. Estarei te acompanhando, se quiser me seguir tbém o end. é:
palavrasdeumnovomundo.blogspot.com
É um blog iniciante, por isso será muito bom contar com sua colaboração, comentários, sugestões. Abraço. Rosa

Erica Ferro disse...

Excelente texto.

Sentir... tão ou mais atraente do que o entender.
Entende-se, muitas vezes, sentindo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...