"A literatura tem essa magia de nos tornar contemporâneos de quem quisermos." (Inês Pedrosa)

sexta-feira, 26 de março de 2010

Sentir

Afinal, a melhor maneira de viajar é sentir. Sentir tudo de todas as maneiras.

Sentir tudo excessivamente, porque todas as coisas são, em verdade, excessivas e toda a realidade é um excesso, uma violência, uma alucinação extraordinariamente nítida que vivemos todos em comum com a fúria das almas, o centro para onde tendem as estranhas forças centrífugas que são as psiques humanas no seu acordo de sentidos.

(Álvaro de Campos)

4 comentários:

jefhcardoso disse...

Alan, é ótimo falar do sentir e dos sentidos. Já fiz isso e sei o quanto é agradável. Faz-nos sentir o quanto vivos somos. (sorrio).

Abraço: Jefhcardoso do melhor http://jefhcardoso.blogspot.com de todos os tempos.

Alan Silva disse...

É sentir, apenas sentir, isso é a vida - esse turbilhão de sentimentos, uma ávida e indelével viagem!

Abraço

Arthur Alter L. disse...

Olá Alan,
Seu texto me fez lembrar Heiddeger "Ser e tempo" naquela reflexão do "ser-aí" é esse emaranhado de significados e manifestações de nossa psique e de nossas relações com o mundo e a realidade que nos torna essa acontecência multipla em significados... é mais ou menos um pouco disso...mas enfim deixemos de filosofar. Gostei de passar por aqui. Eu sou mestrando em história da filosofia. E foi muito bom saber que vc gosta de filosofia.
Abraço.

Alan Silva disse...

Ah, o Heiddegger, não cheguei a ler essa obra, mas li o os biografos dele. Sobre a filosofia, como diria o próprio Heiddger: "A filosofia implica uma mobilidade livre no pensamento, é um ato criador que dissolve ideologias." Aprender a filosofar é a "Pedra Filosofal" do livre pensar.

Um Abraço!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...