"A literatura tem essa magia de nos tornar contemporâneos de quem quisermos." (Inês Pedrosa)

terça-feira, 11 de maio de 2010

Viver

Ninguém avança pela vida em linha reta. Por vezes, saímos dos trilhos. Por vezes, perdemo-nos, ou levantamos voo e desaparecemos como pó. As viagens mais incríveis fazem-se às vezes sem se sair do mesmo lugar. No espaço de alguns minutos, certos indivíduos vivem aquilo que um mortal comum levaria toda a sua vida a viver. Alguns gastam um sem número de vidas no decurso da sua estadia cá em baixo. Alguns crescem como cogumelos, enquanto outros ficam inelutávelmente para trás, atolados no caminho. Aquilo que, momento a momento, se passa na vida de um homem é para sempre insondável. É absolutamente impossível que alguém conte a história toda, por muito limitado que seja o fragmento da nossa vida que decidamos tratar.

(Henry Miller)
[Imagem: Van Gogh]

2 comentários:

Richard Mathenhauer disse...

"Navegando", acontece de estancar num banco de areia que nos faz parar. Parei aqui. Em que tipo de "mortal" e que tipo de vida levo? Seria mesmo possível não contar a minha história toda num único fragmento?

Abraços,

Alan Silva disse...

Dúvido da possibilidade, afinal como diz Deleuze, o Ser não tem uma raiz a qual sua vida circunda como acreditava Freud, mas é um rizoma e o Ser é a infinita frgamentação do Ser mais a conjunção "e... e... e..."...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...