"A literatura tem essa magia de nos tornar contemporâneos de quem quisermos." (Inês Pedrosa)

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Ausência

Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada,
Aconchegada nos meus braços,
Que rio e danço
E invento exclamações alegres,
Porque a ausência, essa ausência assimilada,
Ninguém a rouba mais de mim. 

(Drummond)
[Imagem: John Singer Sargent]

3 comentários:

Oficina de produção textual "Pelo desejo e prazer de escrever" disse...

Lindo demais! Já votei em teu blog. Beijos

Richard Mathenhauer disse...

Ora, um post sobre Drummond!

Eu admirava Drummond quando encetei amizade com um mineiro de BH que reverenciava o poeta, e aprendi muito com ele, conheci muita prosa e muito verso, e hoje também reverencio esse homem que me lembra que sou feito de "infinitos minutos".

Abraços,

Alan Silva disse...

Agradeço pelo voto Tânia e mais ainda pela sua constante presença neste singelo espaço!

Richard, ainda conheço pouco deste grande poeta Mineiro... que pelo visto possuiu uma mina inesgotável de poesias e muita sabedoria!

Um forte abraço!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...